• Jessica Dourado

3 Dicas para escrever roteiros de vídeo

Um dos serviços que mais presto é de roteirização de vídeos. Esses vídeos são aqueles semelhantes a comerciais de TV. Ou são institucionais, apresentando a empresa, ou falando de algum produto ou serviço específico. Escrevo o que vai ser dito na locução, e muitas vezes o que vai ficar apenas na parte visual do vídeo.


Eu faço apenas a parte de redação do roteiro, a edição fica por conta dos meus parceiros da Image Tower. É um trabalho aparentemente simples, mas precisa de muito profissionalismo e experiência.


Por isso, vim compartilhar com vocês 3 dicas que me ajudaram (e ajudam muito) quando o assunto é escrever roteiros de vídeo.


1 - Use frases simples


Os vídeos possuem o intuito de tornar a informação mais simples para quem assiste. Então é preciso que a locução e o que vai escrito no vídeo seja de fácil entendimento.


Por isso, prefira sempre deixar a frase curta e simples. De preferência, usar as sentenças na ordem direta: sujeito + verbo + complemento.


Isso porque os vídeos costumam ter o tempo curto de duração (30 segundos; 1 minuto). Dessa forma, a mensagem precisa ser passada de forma clara. Uma dica: para conferir se o texto está fácil de entender, leia em voz alta. Veja se faz sentido para você.


2 - Escreva pensando na linguagem oral


Parece uma dica simples, não é? Escrever como se fala. Mas às vezes é difícil. Principalmente nós redatores que estamos acostumados a escrever para blogs, redes sociais e impresso.


Temos o ímpeto de escrever de forma mais rebuscada, dificilmente escrevemos pensando em como se fala. E essa é uma das peças fundamentais para a roteirização de vídeos. Tanto o roteiro para locução, quanto para o que vai escrito no vídeo.


Mais uma vez, para garantir que você está escrevendo na linguagem oral, leia o texto em voz alta. Isso ajuda demais.


3 - Regra dos 72 caracteres


Essa dica é para ter o controle de tempo. Como eu disse anteriormente, os vídeos que eu faço o roteiro costumam ser bem curtos. E a gente consegue mensurar o tempo a partir do próprio roteiro.


Na faculdade, na aula de jornalismo radiofônico, aprendi a regrinha dos 72 caracteres. Uma linha com 72 caracteres (toques no teclado) equivale a aproximadamente cinco segundos. Isso já nos oferece uma boa ideia de quanto tempo estamos escrevendo.

A regra dos 72 caracteres me ajudaram muito a ter noção do quanto preciso escrever. Óbvio que eu não cravo os caracteres certinhos, mas sem contar, eu chego muito perto. Por isso é importante fazer com frequência.


No entanto, se você não se adaptar, há diversos sites que contabilizam o tempo do roteiro, e ainda com diferentes tipos de locução (velocidade lenta, média e rápida). Eu uso o contador da Start Studio, eles aproximam muito do tempo que eu imaginei que cheguei escrevendo o roteiro.


Dica extra: uso de barras


Uso de barras? Isso mesmo. As barras (//). Na faculdade, também em jornalismo radiofônico, fui apresentada ao uso das barras para substituir a vírgula e o ponto final.


Essa forma de escrever ajuda demais quem vai fazer a locução. Oferece uma visualização bem clara de onde as pausas devem ser feitas. Aplicar é bem simples. Olha só um exemplo:


Conheça o Blog da Jess //


Nele você encontra textos sobre trabalho / experiências profissionais / e um pouco da vivência da autora //


Além disso / na aba de portfólio / você confere todos os trabalhos mais relevantes que ela já realizou //


Acesse blogdajess.com //

28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo